A Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG) informou nesta sexta-feira (22) que está trabalhando para garantir a integridade da ordem de prioridade da fila de vacinação.

“Furar a fila da vacinação é inadmissível. Se você desrespeita a ordem prioritária, impede a imunização de quem arrisca sua vida na linha de frente. A CGE vai reprimir duramente aqueles que tentarem se utilizar de privilégios para burlar as prioridades de vacinação”, afirma o controlador-geral, Rodrigo Fontenelle.

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do Ministério da Saúde, definiu os critérios utilizados para a os grupos prioritários como trabalhadores da saúde, idosos e pessoas de grupos de riscos.

"O desrespeito à ordem prioritária de vacinação contra a covid-19 é passível de responsabilização administrativa por "valer-se do cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função" (217, IV), passível de aplicação da pena de suspensão de até 90 (dias) por se tratar de falta grave (246, I), nos termos da Lei n° 869/1952 (Estatuto dos Servidores Públicos)".

Para fazer denúncias sobre a Covid-19, o cidadão pode acessar o site da Ouvidoria Geral. Outra canal disponível para quem quiser acompanhar as informações sobre a imunização é o Vacina Minas.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) afirma que "recebeu do Ministério da Saúde 577.480 doses da vacina da CoronaVac, o que, abatida a reserva técnica, equivale a 275.088 pessoas a serem vacinadas – 2 doses para cada". E que todas as doses foram distribuídas para todas as 853 cidades do Estado.

Leia mais:
Saiba como denunciar casos de 'fura-filas' na vacinação contra a Covid-19