Minas Gerais poderá importar a vacina russa Sputnik V. A autorização foi dada do governo do Estado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitára (Anvisa). Inicialmente, poderão ser compradas 428 mil doses do imunizante.

Com a liberação, o Executivo prosseguirá com os encaminhamentos para finalizar as negociações do contrato junto ao Fundo Soberano Russo. O quantitativo de vacinas pleiteado corresponde a imunização de 1% da população mineira, limite máximo estabelecido pela Anvisa.

"Agora, o Fundo Soberano Russo vai junto com a Seplag (Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão) dar a data da entrega, que eu espero que seja o mais breve possível", comemorou o governador Romeu Zema. 

Segundo o Executivo, a importação da Sputnik V será realizada respeitando condicionantes e assinatura de termo de compromisso, para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância nacional decorrente do surto do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

A Sputnik V foi desenvolvida na Rússia, é uma vacina de vetor viral (mesma tecnologia de Oxford/AstraZeneca e Johnson) e é aplicada em duas doses, que podem ser dadas com até três meses de intervalo entre elas.

Imunização 

Até o momento, o Minas Gerais recebeu do Ministério da Saúde 13.441.624 doses das vacinas CoronaVac, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen. Nesta sexta-feira, o Estado chegou perto da marca de 10 milhões de doses aplicadas.

Mais de 7,2 milhões de mineiros receberam a primeira dose, cerca de 2,7 milhões já completaram o esquema vacinal de duas doses e aproximadamente  24 mil pessoas receberam a dose única, conforme os dados publicados no Vacinômetro, painel disponibilizado por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Leia Mais:
Betim vacina pessoas de 43 a 46 anos contra a Covid-19 na próxima semana