Dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta segunda-feira (22) apontam 140.754 casos prováveis de dengue neste ano, que englobam os registros suspeitos e confirmados em Minas Gerais.

Conforme o boletim epidemiológico de monitoramento, 14 pessoas já morreram por causa da doença em 2019: Arcos (1 caso), no Centro-Oeste; Betim (6 casos) e Ibirité (1), na Região Metropolitana de BH; Uberlândia (2) e Frutal (1), no Triângulo Mineiro; Paracatu (1) e Unaí (2), na região Noroeste. Outras 57 mortes suspeitas são investigadas.

Na comparação com o balanço anterior, disponibilizado do dia 15 deste mês, houve um aumento de quese 15,61%, o que representa cerca de mais 19 mil casos. São mais de 1.160 pessoas infectadas todos os dias.

Chikungunya e zika

Em relação à chikungunya, Minas registrou 1.301 casos prováveis em 2019 e, segundo a SES, não houve registro de óbitos suspeitos da doença neste ano. O balanço ainda aponta o registro 497 casos de zika.

Leitos para hidratar pacientes

Como parte das ações do plano de contingência em relação às doenças transmitidas Aedes aegypti em Belo Horizonte, 25 leitos para hidratação venosa por soro de pacientes com dengue começaram a funcionar na noite desta segunda-feira (22), na capital. 

A Unidade de Reposição Volêmica está funcionando na Unidade de Pronto Atendimento Centro-Sul, que fica na rua Domingos Vieira, 488, no bairro Santa Efigênia.

Mas, a secretaria orienta que, inicialmente, pessoas com os sintomas da doença procurem um posto de saúde mais próximo de casa.

De acordo com o último balanço da Secretaria Municipal de Saúde, 4.185 casos da doença foram registrados na capital em 2019. Há ainda 14.271 casos pendentes de resultados. Foram investigados e descartados 4.144 casos.

Leia mais:
Leitos de unidade para hidratação de pacientes com dengue em BH ficam lotados em uma hora
Nova etapa de vacinação contra a gripe inclui policiais e bombeiros pela primeira vez
Minas registra 67 casos suspeitos de sarampo neste ano; veja o calendário de vacinação