No período de uma semana, Minas Gerais registrou mais duas mortes ocasionadas pela dengue. Ao todo, três pessoas já morreram no Estado vítimas da doença. Segundo dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde (SES-MG) na quarta-feira (26), outros sete óbitos são investigados.

Até o momento, 20.447 casos prováveis foram notificados. Desses, 8.873 receberam diagnóstico positivo.

Em relação à febre chikungunya, foram 3.279 casos confirmados. Neste ano, até o momento, não houve registro de óbitos pela enfermidade. Já sobre a zika, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, foram 17 confirmações, sem ocorrência de morte.

Segundo a SES, a população desempenha um papel primordial no controle de vetorial do mosquito transmissor das doenças e, para isso, deve adotar alguns cuidados a fim de prevenir a proliferação do inseto e evitar o contágio. 

Veja as recomendações:

  • Mantenha os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;
  • Esfregue com bucha as vasilhas ou reservatórios de água de seus animais;
  • Não coloque lixo em terrenos baldios;Mantenha a caixa d’água sempre tapada;
  • Observe vasos e pratinhos de plantas que acumulam água parada;
  • Fique atento aos locais que possam acumular água parada como bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso;
  • Mantenha em local coberto pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água;
  • Não deixe acumular água em lajes e calhas, pois esses locais podem se tornar criadouros para o mosquito Aedes aegypti.

Leia mais:
‘Vírus está circulando mais do que há duas semanas’, afirma secretário de Saúde de Minas
‘Se aguentarmos 3 ou 4 meses, conseguimos vencer o estresse do sistema de saúde’, garante secretário
Kalil assina nesta quinta termo de financiamento para vacina da UFMG contra a Covid-19