A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou nesta terça-feira (16) a primeira morte por chikungunya no Estado em 2019. A vítima é da cidade de Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Ainda segundo a pasta, são 2.637 casos prováveis da doença, que englobam os confirmados e os suspeitos.

Os dados são do boletim epidemiológico, que mostra também que as mortes por dengue chegaram a 117. São 447.920 casos prováveis da doença. 

Além das 117 mortes confirmadas, outros 126 óbitos estão sob investigação. A cidade com maior número de mortes é Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, com 18; seguida por Belo Horizonte, com 17.

Já em relação à zika, foram registrados 1.017 casos prováveis da doença só neste ano.

Esses números colocam Minas em situação de alerta para os casos de dengue, chikungunya e zika, doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Confira o número de mortes de dengue por cidades:

Araguari (um), Arcos (um), Belo Horizonte (17), Bertópolis (um), Betim (18), Campos Gerais (um), Contagem (quatro), Curvelo (um), Estrela do Sul (um), Frutal (dois), Guaranésia (um), Guarani (um), Ibiá (um), Ibirité (dois), Ituiutaba (um), Jaboticatubas (um), João Monlevade (dois), João Pinheiro (cinco), Juiz de Fora (dez), Lagoa da Prata (um), Martinho Campos (um), Monte Carmelo (um), Paracatu (um), Passos (dois), Patos de Minas (quatro), Patrocínio (dois), Pitangui (um), Pompéu (um), Ribeirão das Neves (dois), Rio Paranaíba (um), Sacramento (um), São Gonçalo do Pará (um), São Gotardo (dois), Sete Lagoas (um), Uberaba (dois).