Mais um verão, desta vez com bastante chuva, e Minas Gerais novamente entra em alerta contra a dengue. Isso porque o número de casos prováveis, que leva em conta as confirmações e os casos suspeitos, não para de subir: são 29.875, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), divulgado nesta segunda-feira (7).  

Os números representam 2.703 novos casos em 27 dias. No último informe, do dia 11 de dezembro, eram 27.172.

Em 2018, oito pessoas morreram vítimas da doença em Araújos, Arcos, Conceição do Pará, Lagoa da Prata e Moema, no Centro-Oeste do Estado; em Contagem, na Grande BH; e em Ituiutaba e Uberaba, no Triângulo Mineiro. Outras 14 mortes são investigadas. Em novembro de 2017, o número de casos prováveis era de 676, enquanto no mesmo mês de 2018, os números subiram para 1.780.

O aumento no número de casos prováveis da doença, observado em outubro e novembro de 2018 quando comparado com 2017, pode ser explicado pelo desabastecimento de kits para diagnóstico laboratorial, segundo a SES. 

Em relação à Febre Chikungunya, o Estado registrou 11.772 casos prováveis da doença, todos concentrados na região do Vale do Aço. Uma morte foi registrada o ano passado em Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, e duas mortes estão em investigação.

Já em relação à Zika, foram registrados 184 casos prováveis da doença em 2018.