Minas Gerais já contabiliza 5.762 casos da Febre Chikungunya neste ano. Em relação ao último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, são 1.452 casos a mais em duas semanas. A última publicação apontava 4.310 casos.

Segundo a SES-MG, o aumento não reflete a elevação apenas dos últimos dias, mas as notificações referentes aos meses de março, abril e primeira semana de maio. 

Ainda conforme a SES-MG, não foi registrado, até o momento, nenhuma morte para a Chikungunya em 2018.

Dengue

Foram registrados até agora, em todo Estado, 17.276 casos prováveis de dengue, que são aqueles confirmados mais os suspeitos. Três pessoas morreram com a doença, sendo uma no município de Conceição do Pará, uma em Uberaba e uma em Moema. Outros nove óbitos seguem em investigação.

Há duas semanas, o Estado contabilizou 14.781, um aumento de 2.495 registros a mais. 

Em abril, dez municípios se destacaram com incidência muito alta de casos prováveis de dengue: Rodeiro, Piraúba, Visconde do Rio Branco, Lagoa da Prata, Lagoa Grande, São geraldo, Pequi, Marliléria, Ubá, Arcos

Zika Vírus

Minas registrou até o momento 202 casos prováveis de zika em 2018, sendo 60 em gestantes, três com confirmação laboratorial. São 32 casos a mais em relação à última publicação, quando foram registrados 170 casos. 

Os casos prováveis de zika em gestantes foram registrados em 19 municípios. São eles: Montes Claros (10 gestantes), Ipatinga e Janaúba (8 gestantes cada), Belo Horizonte, Timóteo (4 gestantes cada), Coronel Fabriciano, Santana do Paraíso, Sete Lagoas, Ubá e Uberlândia (3 gestantes cada), Juiz de Fora e Uberaba (2 gestantes cada).

* Fonte: SES-MG

Leia mais:
Vírus da zika pode ser usado para eliminar câncer cerebral, aponta estudo da USP
UFMG desenvolve vacina inédita no mundo que promete matar o 'Aedes aegypti'
Minas registra 4.310 casos de chikungunya este ano; Vale do Aço concentra ocorrências