Em meio à escalada dos casos de Covid-19 em Minas Gerais, um estudo de relaxamento da quarentena em parte do Estado será iniciado na próxima semana. Até esta sexta-feira, 21.691 notificações suspeitas foram registradas no território – um aumento de quase 25% em comparação ao dia anterior. Ao todo, 189 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus e 28 óbitos são investigados. 

Belo Horizonte bateu a marca de 118 infectados. Também há doentes em outras 23 cidades. 

A reabertura de alguns segmentos comerciais, informou o governador Romeu Zema durante pronunciamento nesta sexta-feira, visa a amenizar os impactos sociais causados pelo isolamento, preconizado pelas autoridades de saúde como forma de conter o avanço da doença que assola todo o mundo.

Segundo o gestor, o novo coronavírus se espalhou de forma desigual pelo território e as medidas a serem analisadas levarão em conta os índices de novos infectados pela Covid-19. “Não estamos determinando a reabertura de nada, será estudado. Será algo no condicional, não é uma via de caminho único. Estamos otimistas, sim, (sobre) ser possível liberar algumas atividades em algumas regiões do Estado”, disse. 

Romeu Zema pondera não ser justo todas as cidades receberem o mesmo tratamento. “É como se tivéssemos pessoas com 42 graus de febre, outras com 40 e outras com 38. Estamos dando a mesma dosagem de medicamento para todas. Portanto, a dosagem pode mudar”.<EM><QA0>

Necessário
A quarentena é, para especialistas, a forma mais eficaz de impedir um número significativo de infectados, principalmente ao mesmo tempo – o que pode sobrecarregar o sistema de saúde. 

No caso da Covid-19, pesquisas indicam que um paciente contaminado pode transmitir o vírus para outros três. No caso de H1N1, a taxa é de um para 1,5.

“A epidemia está começando agora por aqui, e o isolamento social é muito importante para evitar o pico dos casos. Os locais que adotaram essa medida tiveram bons resultados. Já os que não seguiram essa recomendação vivem um cenário catastrófico, como se passa na Itália”, destaca o infectologista Carlos Starling, ex-presidente da Sociedade Mineira de Infectologia (SMI).

Além disso
Um jovem de 18 anos, que apresentava sintomas do novo coronavírus, morreu, na última quarta-feira, no Hospital Infantil São Camilo, em Belo Horizonte. Segundo a assessoria da unidade de saúde, ele apresentava um quadro de síndrome respiratória aguda grave e era portador de comorbidades. <EM>

O paciente estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o caso suspeito foi notificado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Estado de Minas Gerais (Cievs). A Secretaria de Estado de Saúde informou que ainda não é possível afirmar que o rapaz morreu de Covid-19. <EM>

Em Minas Gerais, a maior incidência da doença ocorre entre a população masculina. Dos 189 infectados com o novo coronavírus, 110 são homens e 79 são mulheres. A faixa etária mais atingida é de 20 a 59 anos, com 159 doentes. Outros 28 têm idades acima de 60 anos. Um bebê de menos de 1 ano também testou positivo.