Já foram confirmados 24 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica Temporariamente Associada à Covid-19 (SIM-P) em Minas, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Dentre as notificações, 18 crianças já tiveram alta. Não há mortes.

Do total de registros da síndrome no território mineiro, 67% foram relativos a crianças do sexo masculino. Não havia comorbidade associada em 87% das confirmações.

Mais da metade dos 24 casos são de crianças com idades entre 0 e 4 anos. Outros 37,5% estão na faixa entre 5 e 9, enquanto 8,3% tinham entre 10 e 14 anos. Houve um pico de registros na primeira quinzena de setembro, com 13 confirmações.

Nove notificações ocorreram em Belo Horizonte e três em Contagem. Também houve registros em Betim, Caldas, Montes Claros, Pedro Leopoldo, Sarzedo, Santa Luzia, São Gotardo, Sete Lagoas, Ubá e Uberlândia.

A síndrome, que surgiu com a pandemia do coronavírus, afeta vários órgãos das crianças e adolescentes. Os primeiros casos ocorreram na Europa e América do Norte. Pais devem ficar atentos e procurar socorro se os filhos apresentarem os sintomas. Veja, abaixo, quais são eles, além das complicações e o tratamento.

Síndrome inflamatória infantil ligada à Covid avança, desafia médicos e lança alerta aos pais