O avanço dos óbitos por Covid-19 em Minas, com recordes constantes, deixa as autoridades sanitárias em alerta máximo. O Estado nunca enfrentou tanta dificuldade para barrar as tragédias provocadas pelo vírus. Só nas últimas 48 horas, mil mortes foram confirmadas pela Secretaria de Saúde (SES-MG). E para piorar, o crescimento deve continuar nos próximos dias.

A possibilidade de aumento dos óbitos neste mês foi alertada pelo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, que concedeu entrevista na manhã desta quinta-feira (8). “Não é o momento de reuniões, de aglomerações. Vamos evitar, o vírus está circulando de forma muito intensa no nosso Estado. Estamos vivenciando um crescimento constante de óbitos, nunca vivenciado antes pelo Estado”.

O representante da pasta explicou, porém, que os óbitos confirmados recentemente são de situações vivenciadas há duas ou três semanas. “É um indicador mais tardio, mesmo com a queda de casos, as mortes vem subindo. Isso é importante reforçar para dizer que o dado não mostra o momento que o Estado está na pandemia, ele confirma o momento que nós vivenciamos há algumas semanas atrás. Por isso, não podemos associar as mortes à progressão em relação ao Minas Consciente”, disse.

Fábio Baccheretti também afirmou que o número de óbitos seguirá em aceleração, mas que já é possível perceber “um platô em relação à aceleração dos casos confirmados”, referindo-se aos efeitos do isolamento social realizado durante a Onda Roxa. “O óbito que viveremos daqui a algumas semanas é relacionado a esse pico. Então, provavelmente ainda teremos um crescimento. Mas o dado importante para fazer a fotografia do Estado de como estamos hoje em relação ao vírus é que estamos em uma tendência de establização”, concluiu.

Leia mais:
Com estoque de vacinas contra a Covid-19 esgotado, BH suspende imunização de novos grupos
Sem toque de recolher, Onda Roxa segue em 12 das 14 regiões de Minas até dia 18; veja o que muda
Minas soma mil mortes provocadas pela Covid-19 em apenas dois dias