A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) está com editais para a contratação temporária de 28 profissionais da saúde que atuarão no Hospital Alberto Cavalcanti, em Belo Horizonte, na Casa de Saúde Santa Fé, em Três Corações, e no Hospital Regional Antônio Dias (HRAD), em Patos de Minas.

Na capital mineira, são oferecidas duas vagas para técnicos de enfermagem, uma para 30h semanais, com salário de R$ 1.393 e outra para 40h, com vencimentos de R$ 1.755. Há também uma oportunidade para enfermeiro generalista, com carga horária de 40h semanais e remuneração básica de R$ 3.464. As inscrições podem ser feitas a partir desta sexta-feira (28) até 11 de junho, neste link

A Casa de Saúde Santa Fé oferece uma vaga de 30h semanais para terapeuta ocupacional, com vencimentos básicos de R$ 2.645. As inscrições se encerram no dia 9 de junho. Clique aqui e confira o edital.

Já em Patos de Minas, a fundação mira a contratação de médicos especialistas, com preferência nas áreas de Infectologia, Terapia Intensiva e Clínica Médica. São 12 vagas para a carga horária semanal de 12 horas (R$ 4.595) ou seis para 24 horas semanais (R$ 9 mil). Ainda são oferecidas oportunidades para médicos generalistas. Neste caso, também são 12 vagas para 12 horas (R$ 3.500) ou seis para 24 horas semanais (R$ 7 mil). 

A Fhemig informou, ainda, que as remunerações podem ser acrescidas de vantagens inerentes à função exercida ou ao local de trabalho, a serem informadas na etapa de contratação. As inscrições vão até o próximo dia 1º de junho e o edital está disponível neste link.

Contratações

Apesar da alta demanda por atendimento médico, principalmente nas UTIs que atendem pacientes com a forma grave da Covid-19, a quantidade de médicos contratados em Minas ainda é baixa. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, há uma dificuldade em adicionar novos profissionais nos hospitais, pois há um limite de especialistas no mercado. 

“A expectativa é que a gente consiga recuperar parte do corpo clínico. Mas certamente, não tenho dúvida, que novos editais serão abertos de forma consecutiva, porque dificilmente, e historicamente, não estamos conseguindo preencher todas as vagas”, afirmou ao Hoje em Dia

De acordo com o chefe da pasta estadual, vários trabalhadores foram contratados no início da pandemia. “O intensivista, o cardiologista, o anestesista, o clínico, aqueles que podem trabalhar em CTI, que têm experiência, já estão em vários lugares. Então é uma grande dificuldade. E existe um rodízio natural”, explicou. 

*Com informações da Agência Minas

Leia Mais:
Com Covid-19, Gino, da dupla com Geno, é transferido para São Paulo
Todas as gestantes devem ser vacinadas contra a Covid-19 até junho em Minas, diz secretário de Saúde
Kalil assina nesta quinta termo de financiamento para vacina da UFMG contra a Covid-19