Januária Jacinta de Freitas vai completar 110 anos de vida no próximo dia 11 de março e, desde já, comemora por receber como presentes as duas doses da vacina contra a Covid-19 – fabricada pela empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

Moradora de Conceição do Mato Dentro, na região Central de Minas, dona Januária tomou a primeira dose do imunizante na última sexta-feira (12), em casa. A aplicação da segunda está prevista para o dia 27 deste mês, conta sua filha de criação Maria das Dores da Lomba Soares, com quem ela vive.

Nestes quase 110 anos de vida, dona Jacinta só esteve em um hospital uma única vez, em março de 2020, logo no começo da pandemia. Maria das Dores lembra que ela teve uma pneumonia e, depois de medicada, a filha decidiu levá-la para casa, já que começavam a se espalhar as notícias sobre a chegada da Covid-19 ao país.

'Me fez bem'

Curada da pneumonia, a idosa está bem de saúde e não apresentou efeito colateral algum ao ser imunizada com a CoronaVac, afirma Maria das Dores. “Quando ela tomou a vacina, brinquei: machucaram a senhora”, recorda a filha, revelando a resposta de dona Januária: “machucou não, me fez bem. Faz tempo que estava esperando por isso”.

Maria revela que dona Januária não ouve mais muito bem, apresenta pequenos lapsos de memória, mas anda por todo lado. “Cuido, porque tenho medo de ela cair e se machucar. Fiquei muito aliviada quando recebeu a vacina contra a Covid-19. Minha preocupação toda aqui em casa nesta pandemia é com ela”, diz a filha de criação.

O dia a dia dessa mulher nascida no começo do século 20, no povoado de Euxenita, município de Sabinópolis, no Vale do Rio Doce, é tranquilo e uma de suas atividades prediletas, segundo a filha, é acompanhar a missa pela TV.

História

Dona Januária não se casou nem teve filhos, mas, segundo Maria das Dores, ajudou sua mãe biológica – hoje com 80 anos –, a criar uma prole de 13. Até um ano atrás, dona Januária vivia com a mãe de Maria, em São José do Jacém, distrito de Conceição do Mato Dentro.

Na época, dona Januária machucou a perna e Maria das Dores a levou para ser tratada na cidade, onde preferiu mantê-la, para que ficasse mais perto de cuidados de saúde e de outros que a idade exige.

No próximo dia 11 de março, os 110 anos de dona Januária vão ser festejados, confirma Maria das Dores. “Festa, festa não vai ter jeito de fazer, por causa da pandemia, mas uma comemoração aqui em casa, vamos ter”, garante ela.

Leia mais:

Vacinação de idosos com mais de 86 anos deve terminar nesta sexta em BH, diz secretário

Se vacinas chegarem, BH irá imunizar toda a população contra a Covid-19 até o fim do ano

Ribeirão das Neves, na Grande BH, começa a imunizar idosos com mais de 89 anos contra a Covid-19