Uma equipe do Ministério Publico de Minas Gerais (MPMG), composta pelo promotor de Justiça Guilherme de Sá Meneghin e pelos peritos Nadson Souza Carvalho (engenheiro civil) e Maria Luisa Alves de Ávila (arquiteta), realizaram na quarta-feira (2) inspeção no terreno onde pode ser reconstruída a comunidade de Bento Rodrigues, em Mariana, Região Central do Estado.

A diligência foi acompanhada por moradores de Bento Rodrigues, pelo secretário municipal de Obras, Newton Godoy, pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Rodrigo Carneiro, e por técnicos do Serviço Autônomo de Água e Esgoto.

De acordo com Guilherme Meneghin, em uma análise preliminar, o terreno, conhecido como “Lavoura”, mostra-se favorável à reconstrução de Bento Rodrigues.

“A área fica a 12km da sede do município de Mariana, possui declividade apropriada, terra fértil, mananciais para abastecimento da população e engloba, aproximadamente, 200 hectares”, informa.

Já o antigo distrito de Bento Rodrigues, arrasado pelo rompimento da barragem de Fundão, da Samarco Mineração S.A., no dia 5 de novembro de 2015, possuía cerca de 200 edificações, distribuídas em 100 hectares.

“Desse modo, a proposta é que o terreno seja maior do que o antigo Bento Rodrigues, de maneira a contemplar a dinâmica de crescimento da comunidade”, esclarece Guilherme Meneghin.

Ainda conforme o promotor de Justiça, serão realizadas várias perícias para verificar se o terreno possui, do ponto de vista técnico, as características necessárias para reconstrução da comunidade, inclusive se os mananciais identificados possuem vazão suficiente para abastecer a população a ser reassentada.

Sendo a avaliação favorável, serão tomadas as medidas para submeter o terreno à aprovação dos atingidos e, posteriormente, iniciados os procedimentos para aquisição do local, atualmente de propriedade da Arcelor Mittal.