O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) enviou ofício neste domingo (29) ao secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, solicitando esclarecimentos sobre eventuais mudanças nas medidas já implatandas pelo governo no combate à propagação da pandemia do novo coronavírus. A pasta tem 24 horas, após a notificação, para responder ao órgão.

Esta semana, segundo já anunciado pelo governador Romeu Zema (Novo), técnicos do Estado farão uma análise sobre a possibilidade de o comércio voltar a abrir em algumas regiões. Eventuais mudanças neste sentido, contudo, só ocorrerão com aval dos prefeitos, conforme se comprometeu o governador.

Para os promotores da área de saúde do MPMG, qualquer mudança exige cautela.

No ofício, os promotores destacaram que "a flexibilização das regras de restrição do convívio social merece redobrada cautela no momento atual, haja vista a reconhecida subnotificação de casos confirmados, que é decorrente, entre outros fatores, do uso restrito dos testes para Covid-19 para pacientes graves e profissionais de saúde, assim como das limitações de capacidade do laboratório da Funed (Fundação Ezequiel Dias) para processar todos os exames encaminhados, o que tem gerado grande represamento".