A ampliação da linha 1 e a construção da linha 2 do metrô de Belo Horizonte poderão ser viabilizadas após um acordo da ordem de R$ 3,2 bilhões entre o Ministério do Desenvolvimento Regional e o governo de Minas. O anúncio foi feito por Rogério Marinho, chefe da pasta federal, após reunião com o governador Romeu Zema (Novo) em Brasília, nesta quarta-feira (25).

O encontro também contou com a presença do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. De acordo com a pasta chefiada por Freitas, a previsão é que a União disponibilize aporte de R$ 2,8 bilhões - por meio de projeto de lei a ser enviado ao Congresso Nacional - e outros R$ 400 milhões sejam financiados pelo Executivo estadual.

"Esse é o maior presente que podemos dar para a região metropolitana de Belo Horizonte; vai resolver o problema de mobilidade urbana da cidade", afirmou Tarcísio. Marinho completou que os investimentos fazem parte do projeto de desestatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos em Belo Horizonte (CBTU/BH). Segundo o Ministério da Infraestrutura, o edital para concessão do metrô da capital está previsto para o início de 2022.

De acordo com o governo de Minas, a finalização dos estudos de viabilidade do projeto e as audiências públicas estão previstas para ocorrer ainda neste ano, com realização do leilão no primeiro trimestre de 2022.

Atualmente com apenas 28,1 quilômetros de extensão, o metrô de Belo Horizonte é sempre alvo de especulações sobre ampliações em períodos pré-eleições. O sonho é que a linha 1 (Eldorado, em Contagem, na Grande BH, até Vilarinho, na região de Venda Nova) seja ampliada, e a linha 2 (Calafate, na região Oeste da capital, ao Barreiro) seja criada.

twitter

Gestores durante reunião de anúncio do acordo para ampliação do metrô de Belo Horizonte

Rodovias

No mesmo encontro, Tarcísio Freitas também adiantou que o edital da concessão das BRs 381 e 262, em Minas e Espírito Santo, será avaliado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na próxima semana e publicado no Diário Oficial da União em 1º de setembro.

Conforme o Estado, serão concedidos, ao todo, 670,4 quilômetros, que contemplam a rodovia BR-381, no trecho com início em Belo Horizonte, no entroncamento com a BR-262, em Sabará, na Grande BH, até o encontro com a BR-116, em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. Em seguida, BR-262, entre o entroncamento com a BR-381 em João Monlevade, na região Central, até a divisa com o Espírito Santo. Por fim, a rodovia BR-262 (ES), até a BR-101, em Viana, no mesmo estado. O prazo de concessão é de 30 anos.

 

"Junto com o metrô, são os mais importantes projetos de Minas Gerais, tanto do ponto de vista social como econômico", declarou o ministro. O sistema citado receberá, ainda conforme o Ministério da Infraestrutura, R$ 7,3 bilhões em investimentos.

O valor deverá ser utilizado para melhorias e ampliação de capacidade, com mais de 400 quilômetros de duplicação, o que deverá beneficiar setores produtivos dos dois Estados, incluindo pecuária, agricultura, mineração e polos industriais e comerciais.

Leia mais:
Hemominas inaugura posto para doação de sangue em Conselheiro Lafaiete
Bebê da capa do disco ‘Nevermind’ processa Nirvana por pornografia
Casos da variante Delta do coronavírus se alastram rapidamente em Minas