Quase 20 mil pessoas das 28 cidades da Arquidiocese de Belo Horizonte acompanharam a Missa da Unidade, realizada na manhã desta quinta-feira (24), no Mineirinho, região da Pampulha. No evento religioso, foi feita a benção de óleos, que serão usados nas cerimônias do Crisma e na Unção dos Enfermos.

Celebrada pelo arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, a missa, realizada há 95 anos, é uma tradição da Igreja Católica e representa a renovação de votos de sacerdotes no compromisso de servir os fiéis.

Durante a cerimônia, Dom Walmor ressaltou aos milhares de católicos presentes, dentre eles, frequentadores das paróquias de Belo Horizonte e região metropolitana que seguiram de caravana e ônibus fretados até o evento, a importância da reflexão da fé no momento em que a política no país passa por um momento delicado, pedindo para agirmos com sabedoria em qualquer situação envolvendo o assunto.

"Devemos pensar em Cristo, na boa nova que ele trouxe ao povo de Deus, e o que ele carregou na cruz, como as nossas dores, sofrimentos e pecados. O mundo precisa de consolo e esperança, a população precisa de mensagens de amor e de mostrar na prática, uns aos outros", disse o Dom Walmor.

Caminhada pela fé

Sobre a mensagem do arcebispo, o agente de transportes Alex Campos Alves, de 26 anos, disse que a missa acontece no momento certo, em que o povo brasileiro precisa fortalecer a fé e a união com Cristo. "É a primeira celebração que presencio. Sem dúvida, a primeira de muitas. Me senti renovado nessa quinta-feira". Comentou Alex, que veio do bairro Santa Terezinha, na Pampulha, acompanhado de amigos.

Após as palavras do arcebispo, foram feitas os rituais de benção dos óleos do batismo, da crisma e da unção dos enfermos, emocionando os presentes na cerimônia.

Com mais de 30 anos de caminhada religiosa, a aposentada Ângela Maria dos Santos, não deixou de conferir a celebração.  Na companhia da nora e da neta, a pequena Carolina, de oito anos, a moradora do bairro Pompéia, região Leste da capital, disse que saiu do ginásio repleta de renovação e esperança, tanto pelas palavras de Dom Walmor, quanto pela presença dos fiéis, que uniram em busca de uma mesma causa, o fortalecimento da fé.

"Essa caminhada pela fé engloba tudo, saúde, família, trabalho. Ela nos completa, principalmente porque reforça a importância do Cristo ressuscitado em nossas vidas", declarou a aposentada, que também atua como ministra da Paróquia Nossa Sra. do Rosário de Pompéia, no mesmo bairro em que mora.

 

* (Colaborou Leandro Hermenegildo)