O número de infectados pelo coronavírus em Belo Horizonte segue em alta pela oitava semana consecutiva, conforme a pesquisa que analisa o esgoto nas bacias do Onça e Arrudas, na capital. O levantamento mostra uma estimativa de cerca de 1.195.300 pessoas infectadas pela doença.

Este é o maior patamar já registrado pelo estudo desde quando ele começou a ser feito, em abril deste ano. Ele representa quase metade da população da cidade, que chega a 2,5 milhões de habitantes. 

Todas as regiões analisadas apresentaram a presença do coronavírus. Os dados se referem a amostras coletadas até o dia 11 de dezembro.

O monitoramento do esgoto de Belo Horizonte é feito pelo Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), junto com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Secretaria de Estado da Saúde.

Belo Horizonte registra  59.141 pacientes infectados desde o início da pandemia, dos quais 1.781 acabaram morrendo, Segundo boletim epidemiológico desta sexta, a capital é a cidade com mais casos e mais óbitos relacionados à doença no estado.