Seis respiradores foram entregues para o Hospital da Baleia, no bairro Saudade, na Região Leste de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (22). Os equipamentos passaram por manutenção na fábrica da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A iniciativa faz parte de um projeto em parceria com o Senai e vai reparar aparelhos de 19 estados brasileiros.

A doação veio em boa hora, uma vez que a unidade de saúde se prepara para receber pacientes com a Covid-19 e precisa equipar 100 leitos dedicados ao tratamento da doença. Para isso, conta com a ajuda das pessoas. "Nossos pacientes em sua maioria pertencem ao grupo de risco por estarem em tratamento de câncer ou nefropatia crônica. Ao longo dos 75 anos de atuação, o nosso foco é atender pessoas carentes, sendo a maioria delas (90%) oriundas do Sistema Único de Saúde (SUS). E é com a ajuda de diversas empresas parceiras e voluntários, que temos construído um importante legado de solidariedade”, explicou Danielle Ferreira, gerente de Mobilização e Recursos da instituição.

Fiat conserta respiradores

Atualmente, menos de um terço dos leitos têm respiradores. O Baleia tem à disposição para atendimento a pacientes com o novo coronavírus 22 leitos de enfermaria e quatro leitos de CTI, equipados. Desses, 12 leitos são para pacientes do Baleia e dez leitos para pacientes da rede da municipal de Saúde, mesmo que esses pacientes não tenham vínculo com a instituição.

A remessa de respiradores faz parte de um trabalho de recuperação desses aparelhos por parte da montadora, em parceria com o Senai. A empresa envolveu 16 funcionários, que trabalham em dois turnos, para consertar os respiradores. Até esta quarta, 129 equipamentos com defeito chegaram à oficina. A maior parte deles (75), veio de 22 cidades mineiras. Outros 64 aparelhos devem chegar para manutenção, vindos do interior de Minas e do Estado do Amapá.

Já foram consertados 18 respiradores e, além do Hospital da Baleia, a Santa Casa deve receber dois aparelhos e mais 10 serão entregues pela Polícia Militar a hospitais do interior de Minas.

Além dos seis respiradores reparados, a FCA também doou 60 protetores faciais plásticos para o Baleia. A empresa informou que as impressoras 3D, que normalmente são utilizadas para o desenvolvimento de projetos de inovação, foram alocadas para a produção destes equipamentos para os profissionais de saúde da linha de frente. Essa ação tem parceria com a fornecedora New-Tech Company, de Caxias do Sul (RS), e juntas estão fabricando cerca de 4 mil peças.