Mais de 500 moradores da cidade de Barra Longa e do distrito de Gesteira, na região Central de Minas, participaram do segundo dia de exercícios simulados voltados para situações de desastre envolvendo rompimento de barragens ou enchentes em áreas situadas às margens de rios e córregos.

O simulado é uma continuação dos exercícios realizados nas comunidades rurais de Mariana, quando mais de 300 moradores também foram preparados para adotarem medidas de autoproteção comunitária na hipótese de um evento adverso.

Assim como em Mariana, às 17h, sirenes foram ouvidas na sede do município de Barra Longa e em seu distrito de Gesteira, dando sinal para que os moradores iniciassem os procedimentos de evacuação. Todos já estavam orientados a apanharem seus documentos pessoais, remédios e itens essenciais e a deslocarem-se para pontos seguros previamente definidos conjuntamente entre a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil e a própria comunidade.

Em pouco mais de 40 minutos, todos os moradores participantes já tinham evacuado suas residências e deslocado para os pontos de encontro, tempo totalmente suficiente para que possam se manter seguros em situação real. Isto demonstra a importância do engajamento da população nas ações de proteção e defesa civil, concorrendo para que os danos humanos sejam reduzidos ao máximo.

Leia mais:
Lama ajuda a reconstruir cidade de Barra LongaLama ajuda a reconstruir cidade de Barra Longa
 

Mais uma vez, vale destacar a integração entre os diversos órgãos públicos e entidades privadas para o sucesso da atividade. Ao todo, 48 integrantes e 28 veículos, incluindo um helicóptero, foram mobilizados. Resultado de um esforço conjunto da Coordenadoria Municipal e Proteção e Defesa Civil, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec/MG), da Prefeitura Municipal de Barra Longa, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e de Saúde (SES-MG), do Núcleo de Emergência Ambiental, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), além da empresa Samarco S/A e da Fundação Renova.

Ao final das atividades desta quinta-feira (10), mais uma etapa de preparação contínua da população foi concluída, mas, como alerta a Cedec/MG, de modo algum pode ser considerada como definitiva e suficiente. O despertar para a percepção e mitigação do risco e o treinamento constante, reitera a coordenadoria estadual, devem ser fomentados cotidianamente, contribuindo para a construção de cidades mais resilientes, seguras e melhores para se viver.

(Com Agência Minas)*