Moradores de Macacos, distrito de Nova Lima, na Grande BH, permanecem sob o impacto do aviso da Vale de risco de rompimento da barragem B3/B4, da Mina Mar Azul. Na manhã deste domingo (17), muitos deles compareceram ao centro comunitário, local onde são realizados os cadastros de pessoas que foram retiradas de casa na noite desse sábado (16). 

Caso do jardineiro Simonio Ferreira Nunes, de 38 anos. Ele conta que foi avisado por uma vizinha de que a barragem teria entrado em colapso e, por isso, não conseguiu chegar em casa — localizada em uma das áreas de risco. 

"Quando tentei chegar para pegar minhas roupas, meus documentos, policiais disseram que eu não poderia, pois minha vida é mais preciosa", lembra, emocionado. Simonio, agora, está em casa de amigos no Centro de Macacos. "Estou só com a roupa do corpo, mas estou bem. É o que importa", diz.

Simonio Ferreira Nunes, de Macacos

Simonio está apenas com a roupa do corpo; todos os pertences ficaram em casa

Desespero

O tempo entre o momento em que foi avisada do risco e o tocar das sirenes foi de 20 minutos, relembra a cozinheira Marli Pereira, de 26 anos. Ela, que mora com o marido e a filha de 5 anos próximo ao local de risco, afirma que só conseguiu salvar algumas peças de roupa da menina.

"A gente saiu correndo quando uma amiga ligou. Depois de 20 minutos, a sirene disparou e foi um desespero", revela Marli. Segundo a cozinheira, a filha está muito assustada e teve pesadelos durante a noite. "Estamos apavorados", diz.

Marli Pereira, de Macacos

Marli Pereira salvou algumas roupas da filha de 5 anos

Leia mais:

Agência Nacional de Mineração recomenda extinção de barragens a montante até 2021

Moradores de Macacos são evacuados por risco de rompimento de barragem da Vale

Ministério do Turismo libera empréstimo de R$ 62 milhões para Brumadinho; prefeito rejeita