Uma ação de reintegração de posse da prefeitura de Belo Horizonte terminou em confusão entre a Polícia Militar (PM), Guarda Municipal e moradores na manhã dessa sexta-feira (21). O atrito se deu em um acampamento no bairro São Jorge, no Morro das Pedras, Centro-Sul da capital. 

A área a ser desocupada pertenceria à prefeitura e teria sido ocupada há nove anos. Vídeos publicados nas redes sociais mostram o desespero de moradores da região com tiros de balas de borracha que foram disparados por policiais. Segundo os habitantes do local, um bebê teria inalado gás de pimenta durante a ação policial. 

Relatos também apontam que pelo menos um homem e uma mulher que moram no acampamento foram feridos com os disparos de balas de borracha. “Arrastaram uma adolescente pelo cabelo e só não deram um tiro à queima roupa porque um primo entrou na frente e tomou o tiro na costela”, disse uma moradora. 

“Nós fizemos levantamento e não existe registro da prefeitura aqui na área, e muito menos autorização do juiz para demolir as casas daqui”, acrescentou. 

A reportagem do Hoje em Dia entrou em contrato a prefeitura de Belo Horizonte, que informou, por meio da Subsecretaria de Fiscalização, que a área em questão é um "terreno público municipal e que nesta sexta-feira, dia 21, a fiscalização iniciou a ação de demolição das edificações provisórias", diz a nota. 

"Os invasores foram notificados previamente antes da ação. A Prefeitura informa, ainda, que vai continuar monitorando o local para evitar novas invasões", finalizou a PBH informando que a Guarda Municipal também esteve no local para garantir que a ação acontecesse de maneira tranquila.

Atrito

Por nota, a PM informou que foi chamada ao Aglomerado Morro das Pedras por fiscais da Prefeitura de BH que fariam demolição de uma construção irregular e estariam sendo ameaçados por moradores. Após a chegada dos militares, algumas pessoas se exaltaram e passaram a ofender verbalmente e jogarem pedras contra os fiscais.

"Diante das agressões foi necessário a ação da PMMG no sentido de fazer cessar as agressões perpetradas contra os Funcionários da PBH, Guardas Municipais e os próprios Policiais Militares e visando restaurar a ordem pública, através do uso de Equipamentos de Menor Potencial Ofensivo (disparos de elastômero), e Técnicas de Imobilização e Algemação. O autor do arremesso da pedra que feriu o funcionário da PBH, o qual teria sido atingido por disparos de elastômero, no sentido de fazer cessar o arremesso de pedras contra os funcionários públicos no exercício de sua função conseguiu evadir do local, não sendo possível sua prisão", informou a nota.