Moradores do distrito de Santa Rita Durão, a 8 quilômetros de Bento Rodrigues, local mais afetado pelo rompimento das barragens de Santarém e fundão, estão apreensivos por causa das trincas identificadas na barragem de Germano. 
 
Segundo eles, mesmo que a lama e rejeitos não tenham atingido o distrito por causa da altitude, o volume de materiais da terceira barragem poderia afetar a área no entorno do rio, assim como aconteceu em Paracatu de Baixo, que está a mais de 40 quilômetros das estruturas. "Se lá em Bento eles falaram que não tinha problema e teve, aqui é a mesma coisa. A gente fica com medo", disse Rosa das Dores Crisóstomo, de 46 anos. Segundo ela, nenhum funcionário da mineradora passou na cidade para prestar esclarecimentos. 
 
A agente comunitária de saúde Elaine Geralda de Paula, de 29 anos, também está preocupada. "As pessoas falam que por causa das barreiras a lama não chega, mas, mesmo assim, estou com medo". 
 
Questionada sobre a necessidade de evacuação da cidade, a Samarco não se posicionou sobre o assunto. O capitão Thiago Miranda, do Corpo de Bombeiros, informou que estudos técnicos apresentados pela mineradora mostram que, caso haja algum problema com a terceira barragem, a lama seguiria o mesmo caminho, atingindo novamente os distritos de Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo, Pedras, Gesteira, Águas Claras e Campinas.