Moradores de aglomerados, vilas e favelas de Belo Horizonte vão ganhar cestas básicas da prefeitura para enfrentar o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus. O anúncio foi feito pelo prefeito Alexandre Kalil, nesta segunda-feira (30), durante entrevista ao MGTV 1ª edição, da TV Globo.

Anteriormente, a PBH já havia informado que vai entregar mais de 140 mil cestas básicas para famílias de alunos da rede municipal de ensino. O benefício será em substituição à merenda escolar e começará a ser distribuído na terça-feira (1º).

Com relação os moradores dos aglomerados da cidade, Kalil declarou que reservou R$ 20 milhões para compra dos itens que vão compor a cesta. Segundo ele, haverá um cadastro e a prefeitura vai agilizar para que os produtos sejam entregues no menor tempo possível.

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania foi procurada pelo Hoje em Dia, mas até o momento não detalhou como será feita a entrega das cestas para a população carente.

Durante a entrevista, Kalil reafirmou que a prefeitura tem agido para salvar vidas e destacou que está preocupado com a parcela da população mais necessitada. "Não estamos preocupados com donos de caminhonete com bandeira do Brasil na traseira (em referência a manifestantes que pedem a reabertura dos comércios). Tem gente sofrendo e sofrendo muito", declarou.

O prefeito de BH ainda disse que, com as medidas de distanciamento social, BH vai superar muito mais rápido a transmissão da Covid-19. "Suplico, fiquem em casa", clamou.

Leia mais:​
PBH amplia medidas de proteção à população de rua por conta da propagação do coronavírus
Minas já tem quase 30 mil casos suspeitos de coronavírus; 23 mortes são investigadas