Apesar de a Defesa Civil Municipal ter tranquilizado os moradores dos prédios interditados nas ruas Cabo Verde e Muzambinho quanto ao risco de desabamento, os desalojados continuam sem resposta sobre quando retornarão para a casa. 

“O risco de desabamento dos prédios está contido no momento, mas não podemos prever quando vocês voltam para casa”, informou o vistoriador da Defesa Civil José Reis, durante reunião, ontem à tarde, na garagem do prédio Monte Carlo, próximo do local do desabamento, no bairro Cruzeiro, região Centro-Sul de BH. 

“Só volto para casa quando alguém como o coronel Lucas (chefe da Defesa Civil) vir falar que estamos em segurança”, rebateu a médica Fátima Castro, moradora do prédio interditado na rua Muzambinho. 

Reis informou também que 2 mil toneladas de pedras e areia estão sendo compactadas no terreno da construtora Edifica Engenharia. A Copasa também realizou retenção de uma adutora. Técnicos da empresa Oi fizeram o desligamento dos cabos que ficaram soltos na rua.