Moradores do bairro Santa Mônica, na Pampulha, acusam a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), empresa da Prefeitura de Belo Horizonte responsável por obras públicas na cidade, de ter causado grande prejuízo a várias famílias. "A Sudecap tampou os bueiros, em razão de uma obra na rua José Maria Botelho, e a forte chuva desta madrugada alagou nossas residências, pois a água não teve para onde escoar e entrou nos lares", reclamou o professor de educação física Eduardo Antônio Campos.

Segundo ele, a obra começou há seis meses. Trata-se de uma intervenção no córrego Marimbondo, que corta a região. Parte do leito está passando por intervenções para evitar, justamente, alagamentos. "Os bueiros foram tampados e cimentados na sexta-feira à tarde e, à noite, veio o caos. Na casa dos meus pais, a água subiu aproximadamente 2 metros. A caminhonete boiou na garagem. Perdemos tudo: geladeira, fogão...", acrescentou o professor.

Indignado, ele reclama que o Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU) foi de R$ 2,4 mil em 2020. "Já está pago. Pergunto: um imposto tão alto para perder tudo?", questiona.  

Em nota, a Sudecap informou que "está executando obras de uma nova rede de drenagem com mais capacidade para o local.  O bueiro que foi desativado é de uma rede antiga, que está rompida e foi desativada. Equipes já atuam no local fazendo a limpeza e desobstrução da rede que está ativa. Importante esclarecer que choveram mais de 140 mm no local, com lâmina d'água de mais de 1,5 metro escoando sobre a via e que o bueiro que foi desativado não teria capacidade de evitar o que ocorreu no local. A conclusão da primeira etapa de obras que estão em andamento na região pela Prefeitura ajudará a reduzir o risco de inundações na região".

Leia mais:

Chuva arrasta carros e fecha estação de ônibus em BH