Famílias que foram retiradas de casa por causa do risco de rompimento das barragens Serra Azul, da ArcelorMittal, em Itatiaiuçu, e da Mina Mar Azul, em Macacos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vão ser transferidas de hotéis para moradias alugadas pelas empresas.

Após uma reunião com moradores e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) nessa terça-feira (12), a Vale informou que cerca de 80 moradores da comunidade de Macacos, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vão poder voltar para as suas casas. 

Elas estão em hotéis pagos pela mineradora até o dia 17 de março e, segundo a empresa, não moram na Zona de Autossalvamento (ZAS) da barragem B3/B4 da Mina Mar Azul. Outros 100 moradores da ZAS da barragem B3/B4pessoas), que permanecerão em hotéis vão ser transferidos para moradias alugadas pela mineradora.

Itatiaiuçu
 
Sessenta e cinco pessoas que precisaram deixar as casas por causa do alerta com uma barragem de rejeitos em Itatiaiuçu, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram encaminhados para casas alugadas pela mineradora da ArcelorMittal. 

De acordo com a empresa, elas representam 16 famílias que estavam em um hotel ou morando com parentes há mais de um mês e foram realocadas em casas temporárias. A mudança teve início durante o carnaval.

Outras 43 pessoas de 15 famílias seguem em casas de parentes e amigos e preferiram não seguir para o hotel em Itaúna. No total, 118 pessoas de 39 famílias serão ainda transferidas para casas temporárias. 

A empresa assinou um Termo de Acordo Preliminar (TAP) com a participação do Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal e o prazo para realocar todos vai até o início de abril.

Ainda de acordo com a empresa, cada família vai receber um  abono de R$ 5 mil para gastos emergenciais, que será pago em até 15 dias úteis a contar da data de assinatura do Termo de Acordo Preliminar (21 de fevereiro).