Morreu nessa quinta-feira (2), aos 84 anos, o jurista Aristoteles Atheniense, que presidiu a Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais (OAB-MG) entre 1973 e 1983. A causa da morte não foi anunciada. Por causa da pandemia de Covid-19, não haverá velório.

Por meio de nota, a OAB Minas lamentou a morte de Atheniense e afirmou que o jurista foi “referência do direito nacional e autor de obras jurídicas”, ocupando os mais altos cargos da advocacia mineira e do Conselho Federal. A entidade decretou luto oficial de sete dias, com bandeiras a meio mastro.

O advogado Alexandre Atheniense, filho de Aristoteles, publicou em seu perfil do Facebook que a morte do pai deixa um vazio em sua família. “Eu tenho muito para falar sobre ele, páginas e páginas. Mas não poderia haver um dia mais difícil. Hoje estou devastado. Meu inspirador, meu amigo, meu companheiro de viagem, meu pai, doutor Aristoteles Atheniense partiu hoje pela manhã. Fará uma enorme falta para mim”, escreveu.

O escritório Aristoteles Atheniense Advogados, fundado pelo jurista há 60 anos, publicou uma nota de pesar em suas redes sociais. “Perdemos hoje não só um homem de bem, um pai de família, um esposo, um grande advogado, mas um verdadeiro amigo, que a todos, independente de classe social ou da proximidade que com ele tinha, oferecia uma palavra de conforto, seja nos momentos tristes ou alegres, com o único interesse de ajudar, de estar presente”, diz a nota.

 

Prezados colegas e amigos: É com imensa tristeza que comunicamos o falecimento do Dr. ARISTOTELES ATHENIENSE, fundador...

Publicado por Aristoteles Atheniense Advogados em Sexta-feira, 3 de julho de 2020

 

Nascido em Rio Novo, na Zona da Mata mineira, e graduado em Direito pela UFMG, Atheniense foi nomeado patrono da XVI Conferência da Advocacia Mineira, em 2018. Na OAB Minas, foi presidente, vice-presidente, tesoureiro, conselheiro federal e presidente da Comissão Nacional de Relações Internacionais (de 2007 a 2010).

Ele ainda presidiu a Academia Mineira de Letras Jurídicas e era membro da Federação Interamericana dos Advogados, do American Bar Association, da Federação Internacional dos Advogados, do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, do Conselho Superior do Instituto dos Advogados de Minas Gerais e do Instituto dos Advogados Brasileiros.