Aos 70 anos, morreu, na madrugada deste sábado (23), o chargista e ilustrador Gerson Salvador Pinto – mais conhecido como Son Salvador, como assinava as obras. Ele estava internado no Hospital Vila da Serra, em Nova Lima, na Grande BH, para tratar problemas respiratórios quando o quadro evoluiu para falência múltipla de órgãos, informou o jornal Estado de Minas, onde Son Salvador trabalhava. O sepultamento está marcado para as 17h, no Cemitério Bosque da Esperança, região Norte de Belo Horizonte.

Son Salvador trabalhou por 43 anos no Estado de Minas. Lá, publicou charges e ilustrações sobre diversos temas. Desde política nacional e internacional, até a situação dos times mineiros em campeonatos. Na última publicada no perfil pessoal no Instagram, em junho deste ano, Salvador desenhou uma Raposa desnorteada. "Onde estou? Para onde vou? Quem sou eu", perguntava o mascote do Cruzeiro, fazendo referência à situação do time no Campeonato Brasileiro. 

Editor-executivo de Imagem do Hoje em Dia, o também chargista Lute lamentou a morte de Son, que, segundo ele, representa perda imensa para o jornalismo. "É como se a gente tivesse perdendo nossas referências. O Son, durante muito tempo, foi o chargista mais popular da cidade. Ele publicava no Diário da Tarde e a charge era estampada na capa. Tinha uma facilidade em comunicar com o leitor".

"Antes mesmo de existir o termo multimídia, o Son já era. Estava no jornal, na TV, e sempre de forma muito leve. Ele era muito legal, de convívio fácil. Alegre, sempre com sorrisão no rosto", acrescentou Lute.

Veja algumas charges de Son Salvador:

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Son Salvador (@blogsonsalvador) on

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Son Salvador (@blogsonsalvador) on

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Son Salvador (@blogsonsalvador) on

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Son Salvador (@blogsonsalvador) on