A disparada de bebês vítimas da Covid-19 preocupa e lança novo alerta às famílias mineiras. Os óbitos dos menores de 1 ano cresceram mais de 70% em março. Desde o início da pandemia, foram 19 vidas perdidas, sendo oito no mês que terminou ontem. Um dos motivos para o salto é a chegada das novas cepas do vírus, agressivas e altamente contagiosas. 

Enquanto as mortes das crianças aumentaram 72,7% nos últimos 31 dias, as demais, de todas as faixas etárias, cresceram 31%. O levantamento foi feito com bases nos boletins epidemiológicos da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). A pasta, no entanto, não divulga informações sobre a idade exata dos bebês, sexo e município onde residiam.

Atualmente, nenhuma vacina contra o coronavírus foi recomendada e aprovada por órgãos de saúde para ser aplicada nas crianças, pois faltam estudos que atestem a segurança das doses. Semana passada, a Pfizer informou que iria iniciar testes em menores de 12 anos. Porém, a previsão é a de que a ampliação da imunização ocorra só em 2022.

Sem o principal escudo capaz de barrar o contágio do vírus, pais e mães devem se manter atentos e seguir com a quarentena, evitando situações de risco, para proteger os filhos. Vale reforçar que a Sociedade Brasileira de Pediatria não recomenda o uso de máscaras por crianças com menos de 2 anos.

Em março, na comparação com fevereiro, as mortes por Covid-19 em todas as faixas etárias no Estado aumentaram 31%, passando de 18.565 para 24.332. Já os óbitos de menores de 1 ano, no mesmo período, passaram de 11 para 19, um salto acima dos 70%

Outro alerta aos pais é com relação aos sintomas da Covid-19 nos mais jovens. Em recente entrevista ao <CF37>Hoje em Dia</CF>, a infectologista Lilian Diniz, que integra a Sociedade Mineira de Pediatria, lembrou que a manifestação da doença tem se mostrado diferente do que ocorre nos adultos. 

Diarreia, dor na barriga e vômito, que não são sintomas respiratórios, têm sido percebidos, assim como o nariz escorrendo. Manchas na pele também pode ocorrer. No entanto, novamente é preciso atenção redobrada, pois, apesar de raro, esse pode ser um sinal da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), associada à Covid-19. 

São 82 diagnósticos positivos até o momento, 35 em investigação e um óbito confirmado em Juiz de Fora, na Zona da Mata. 

Os pacientes podem apresentar dificuldade respiratória, doença renal e insuficiência cardíaca aguda. Além das manchas vermelhas na pele, os principais sintomas são febre, conjuntivite e edema nos pés e nas mãos.

Além disso:

Ontem, a SES informou que a Onda Roxa do programa Minas Consciente será prorrogada em 13 das 14 regiões de Minas. Apenas a regional Triângulo do Norte, primeira a ser inserida nessa fase mais restritiva, apresentou melhora em todos os indicadores da Covid-19 e, por isso, avançará para a Onda Vermelha. 

Na fase vermelha, todas as atividades podem funcionar, desde que cumpram uma série de regras, como distanciamento e limitação máxima de pessoas nos estabelecimentos. Já na roxa, apenas serviços essenciais podem funcionar e há toque de recolher, das 20h às 5h.

Leia também:
Covid-19: Belo Horizonte amplia vacinação para idosos de 68 e 67 anos
Alento a restaurantes: empresários criam alternativas para ampliar vendas amanhã e na Páscoa
Jackson Machado diz em audiência que mais de 200 pessoas esperam por um leito de UTI em BH