O Governo de Minas Gerais revisou o número de mortos vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho para 34. O número oficial foi divulgado na noite deste sábado (26). Anteriormente, havia sido divulgado o total de 40.

Vinte e três pessoas estão hospitalizadas em unidades de saúde da capital, de Brumadinho, Ibirité, Sarzedo e Betim. Até o momento, 296 pessoas seguem desaparecidas, sendo funcionários da Vale e terceirizados da companhia.

A tragédia, que caminha para tornar-se o maior desastre socioambiental do Brasil, aconteceu na última sexta-feira (25) depois que a Mina do Feijão se rompeu e despejou aproximadamente 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro em Brumadinho. 

Fake 

Durante o dia, circularam nas redes socais mensagens informando que mais duas barragens haviam se rompido. A informação, contudo, foi negada pela pelas forças Integradas de Segurança. "Houve um alarme falso de rompimento de outra barragem. Funcionários da empresa realizam um bombeamento para drenagem desta barragem", comunicou o Estado por meio de nota.

Doação

O Governo de Minas também destacou que a arrecadação de donativos foi interrompida. O motivo: "por falta de espaço para armazenamento, devido ao grande volume de doações". "O Governo de Minas através da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de Minas Gerais- CEDEC/MG e o Servas, agradece o empenho e a solidariedade do povo mineiro com os afetados pelo rompimento da Barragem da Mineradora Vale em Brumadinho, e informa que os donativos arrecadados até o momento são suficientes, não sendo necessário o envio de mais materiais para o socorrimento humanitário", agradeceu o Estado por meio de nota.

Leia mais:
Bolsonaro diz que tomará medidas para que tragédia de Brumadinho não fique impune
Cerca de 200 famílias já procuraram a Acadepol em BH para cadastro de desaparecidos
Ibama multa Vale em R$ 250 milhões por tragédia em Brumadinho