O drama vivido por 25 mil brasileiros na luta contra o nazismo e o fascismo, em pleno inverno europeu, chamou a atenção do público jovem que visitou nesta sexta-feira (15) a exposição 2ª Guerra Mundial, em cartaz até o dia 24, no Boulevard Shopping, bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte.
 
Contada por meio de fotos, armas, uniformes, objetos de uso pessoal, documentos e publicações, a saga heróica dos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália, em 1944, impressionou a professora de espanhol Sofia Carvalho, de 25 anos.
 
“Fiquei sabendo na semana passada e hoje vim ao shopping só para ver a exposição”, disse. “Foi tremenda burrice (o país ir à guerra), a gente não tinha nada com isso. A briga principal era aqui, contra a ditadura de Getúlio Vargas”.
 
Equipamentos
 
A mostra reúne itens do Museu da FEB e de colecionadores, como dez carros utilizados em combate. Modelos fabricados pela Willys em 1942, o jipe de comando e a viatura ambulância agradaram Thaís Avelar e Beatriz Siqueira, ambas de 15 anos e alunas do 1º ano do ensino médio.
 
“As armas foram o que mais impressionou. Uma época dura e triste”, diz Beatriz. “Dá pra ver que era difícil a situação”, opina Thaís.
 
“Até aquela, o modelo de treinamento era francês. Na Itália, nossas tropas ficaram sob o comando do Exército norte-americano. Nos superamos e cumprimos a missão”, afirma o presidente da Associação dos Reservistas do Brasil (Areb), João Armani.