Presos do Ceresp Gameleira, em Belo Horizonte, se rebelaram na madrugada desta quinta-feira (16) colocando fogo em colchões, celas e uniformes. A rebelião começou às 19h e só foi controlada por volta das 3h30, conforme relato de fontes do sistema prisional. 
 
Policiais do Comando de Operações Especiais (COPE) foram chamados para conter os detentos. Quatro galerias foram atingidas pelas chamas. Fotos obtidas pelo portal do Hoje em Dia mostram a destruição. Uma divergência entre o diretor do Ceresp com um grupo de detentos que se queixam da superlotação do local teria sido o estopim para a rebelião. 
 
Por meio de nota, a Secretária de Defesa confirmou o ocorrido, mas alegou que tudo foi controlado às 20h30. Segundo o comunicado, os presos protestaram devido a falta de água na região. "A direção da unidade instaurou um Procedimento Interno para apurar o ocorrido. O centro segue sua rotina normal", diz trecho da nota. 
 
É a segunda rebelião em BH que o secretário de Defesa Bernardo Santana enfrenta desde o início do ano. No mês passado, a secretaria confirmou que um grupo de detentos ateou fogo em pedações de colchões no Ceresp da Gameleira. Naquela oportunidade, o tumulto foi resolvido em aproxidamente 30 minutos. 
 
Após incendiarem os objetos, eles atiraram os colchões no corredor de um dos pavilhões. Na época, o governo negou que houve motim ou rebelião na unidade e alegou que a rotina segue normalmente. Um procedimento interno foi instaurado pela direção da cadeia para apurar o ocorrido.