Após quatro meses de concessão e cobrança de pedágio, a BR-040 começa a ganhar nova cara entre Brasília e Juiz de Fora, na Zona da Mata. Motoristas elogiam a manutenção do asfalto e sinalização, além do atendimento aos usuários da rodovia. Porém, cobram urgência na execução de obras para acabar com gargalos, sobretudo no trecho que corta o município de Congonhas, na região Central de Minas.

A reclamação é sobre viadutos e uma ponte em pistas simples. No cronograma de obras da Via 040, que administra a rodovia, em 2016 está previsto o início da duplicação de 28,4 quilômetros da BR-040, entre Nova Lima e Conselheiro Lafaiete.

Serão eliminados seis gargalos no trecho, entre os Kms 608 e 616: quatro viadutos, uma ponte e o trevo de acesso Norte a Congonhas. “Pelo preço que é cobrado (R$ 4,60 em cada praça de pedágio), não está valendo a pena.
Fizeram tapa-buracos, melhoraram a sinalização, mas em feriados e finais de semana o tráfego agarra nos gargalos, com congestionamentos de até quatro quilômetros”, lamenta Samuel Aparecido de Oliveira, de 35 anos, que transporta minério.

O analista de sistemas Arnaldo Mourão, de 29, também não está satisfeito com as retenções em dias de maior fluxo. “O afunilamento nesses pontos trava tudo”.

O motorista Afonso Devenute Rodrigues, de 47, comemora a qualidade do asfalto. “Acabaram os buracos”. Mas o filho dele, o mecânico João David Gonçalves Rodrigues, de 26, aponta o risco que correm os moradores de Pires, distrito de Congonhas, pela falta de passarela para pedestres. “É preciso melhorar a travessia. As pessoas esperam até 40 minutos, para atravessar. Tem muita criança que mora de um lado e estuda do outro da BR-040”.

O engenheiro Márcio Aguiar, professor do Departamento de Engenharia do Transporte da Universidade Fumec, aponta o trecho entre BH e Juiz de Fora como o mais precário da BR-040. “Em Congonhas, a situação é alarmante, com alto índice de acidentes, e já deveriam ter iniciado as intervenções de melhorias no traçado”, afirma o especialista, sem apresentar estatísticas.

OBRAS

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Via 040 informou que as obras serão iniciadas no primeiro trimestre deste ano. “O primeiro passo será a duplicação de todas as pontes e viadutos. Os equipamentos serão reconstruídos e duplicados. A contratação das empresas que farão as obras está sendo conduzida pela Via 040 e encontra-se na fase final”, diz a nota.

Sobre a passarela em Pires, a concessionária informa que “a Agência de Desenvolvimento de Congonhas está conduzindo os estudos de adequação para que o novo projeto contemple a configuração da BR-040”.