Prestes a colapsar, o talude norte da cava do complexo minerário de Gongo Soco, em Barão de Cocais, na região Central de Minas, teve um deslocamento de 16 centímetros entre essa quinta (23) e sexta-feira (24), de acordo com a Agência Nacional de Mineração (ANM). Este pico de movimentação se dá no ponto mais crítico da estrutura, mas a média do deslocamento do talude é de 12,9 centímetros por dia. 

O prazo estimado para o rompimento do talude é até este sábado (25), mas a expectativa é que ao cair na cava ele se integre ao ambiente e não impacte na barragem, que concentra 4,8 milhões de metros cúbicos de rejeitos e está no nível 3 - o máximo - do risco de rompimento. No entanto, a possibilidade de um abalo sísmico causado pelo cedimento do talude reverberar na barragem e causar seu rompimento é de 15%. 

Por causa dessa possibilidade, um novo estudo de projeção da lama, o "dam break", considera o pior cenário possível: o de rompimento da barragem e projeção de 100% da lama nas áreas de inundação. Segundo o porta-voz da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Flávio Godinho, essa projeção foi feita para que as pessoas fossem retiradas das áreas de risco e treinadas para encontrarem os locais seguros em caso de rompimento. 

Na projeção, a lama iria gastar uma hora e 12 minutos para atingir a primeira residência de Barão de Cocais, duas horas e 36 minutos para chegar até a primeira residência da área rural de Santa Bárbara e, na cidade, três horas; e mais oito horas para atingir São Gonçalo do Rio Abaixo, outro município que está no trajeto dos rejeitos. Após são Gonçalo do Rio Abaixo, a lama percorreria ainda mais 40 quilômetros.  

Por meio de nota, a Vale informou que "adotou todas as medidas preventivas em Barão de Cocais, desde o dia 8 de fevereiro, com o objetivo de assegurar a segurança dos moradores da região", ocasião em que a população residente nas áreas mais críticas no caminho da lama foi evacuada. 

A empresa também reforçou que "tanto o talude da mina de Gongo Soco como a Barragem Sul Superior estão sendo monitorados 24 horas por dia e as previsões sobre deslocamento de parte do talude, revistas diariamente".   

Leia mais:
Defesa Civil diz que fechamento de agências bancárias e correios em Barão de Cocais é desnecessário
Juíza suspende expediente em fórum de Barão de Cocais, após risco de rompimento de barragem
Movimentação em estrutura da mina de Gongo Soco deixa moradores de Barão de Cocais em alerta