Após atingir movimentação de 56 cm por dia no último domingo (16), o ritmo de movimentação do talude norte da cava da Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, diminuiu, ficando em 48 cm por dia nesta segunda-feira (17).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a tendência de escorregamento lento e desagregado para o fundo da cava, o que não provocaria um temido abalo sísmico que poderia afetar a estrutura da barragem Sul Superior, a 1,5 quilômetro de distância.

Em risco desde março deste ano, a situação na cidade da região Central mineira chegou a ser mais desesperadora no mês passado, quando foram apontados os riscos com a provável queda do talude sobre a mina. Simulados foram feitos e famílias precisaram deixar as casas por conta do risco. Além de Barão de Cocais, as cidades de Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo poderiam ser atingidas com os rejeitos.

Nas três cidades, a população que precisará ser retirada de casa para não ser levada pela lama ultrapassa 10 mil pessoas. Todos esses municípios já passaram por simulados de evacuação para saber para onde correr em caso de rompimento da barragem.