O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ofereceu denúncia contra 22 integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) com atuação em Itajubá.

Conforme as alegações do Ministério Público, que pediu a prisão preventiva dos acusados, eles estão envolvidos em tráfico de drogas, comércio e porte ilegal de armas de fogo, atentados contra a vida de inimigos de outras organizações criminosas e contra agentes de segurança pública.

Pelo menos cinco suspeitos estariam na iminência de praticar atentados contra agentes. Vários dos denunciados praticaram crime de tortura, inclusive contra membros da própria organização ou contra pessoas a ela relacionadas, constrangendo as vítimas com violência e grave ameaça, causando-lhes sofrimento físico e mental para obter informação, declaração ou confissão.

Agora cabe ao juiz decidir se acata ou não a denúncia do MP.