Um relacionamento conturbado e a disputa por um apartamento estão sendo apontados como motivações para o assassinato do corretor de imóveis Moacir Moraes Júnior, 48 anos.

De acordo com as investigações conduzidas pelo Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa, a mandante do homicídio é a mulher da vítima, Renata Aparecida Menezes Campos, de 39 anos.

Valdionor Alves dos Santos, 42 anos, executor do crime, recebeu um valor de R$ 5 mil pelo serviço prestado. Valdionor é pedreiro e trabalhava nas obras de acabamento do prédio em que o casal morava. O crime ocorreu no dia 10 de novembro do ano passado, no bairro Fernão Dias, região Leste de BH.

Renata e Moacir estavam em processo de separação. Ele pretendia vender o apartamento que pertencia ao casal para que dessa forma pudessem dividir o valor obtido com a transação.

Dinâmica

Para a delegada Alice Batello, que coordenou as investigações, Renata dissuadiu Valdionor a ajudá-la no crime. Ela dizia ao suspeito que o marido a agredia com frequência e que a teria ameaçado de morte.

Levantamentos indicam que Renata orientou Valdionor na execução do crime. Ela recomendou que o suspeito levasse a aliança, celulares e relógio da vítima, com o objetivo de simular um latrocínio (roubo seguido de morte).

Inicialmente, Valdionor intermediaria a contratação de outras pessoas para a ação criminosa, o que acabou não acontecendo. No dia do crime, Valdionor pediu que a vítima o acompanhasse até outro apartamento do prédio para verificar algo relativo à obra no local.

Moacir era responsável pela venda do imóvel em questão. Chegando ao apartamento, Valdionor atingiu a vítima, por trás, com uma barra de ferro. Caído ao chão, Moacir ainda se virou, e foi atingido mais duas vezes.

Renata e Valdionor foram indiciados por homicídio duplamente qualificado e tiveram suas prisões temporárias decretadas. A mulher foi encaminhada para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Centro-Sul e Valdionor para o Presídio Dutra Ladeira.