Duas mulheres foram presas nesse domingo (1°) em Várzea da Palma, no Norte de Minas, após tentarem negociar um bebê recém-nascido por uma casa. Uma delas, de 30 anos, deu entrada no hospital para dar à luz a criança alvo do acordo, usando o documento da outra mulher, que tem 46 anos. A ideia era que o bebê fosse registrado já no nome da mulher mais velha. 

Mas, ao verem o documento de identificação apresentado pela gestante, os médicos da unidade desconfiaram da diferença de idade entre a aparência da mulher de 30 anos e a identificação da mulher de 46 anos, que 'compraria' o recém-nascido. O Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados. 

O bebê acabou tendo complicações após o parto e foi transferido para outra unidade médica, na cidade de Pirapora. Após isso, a mulher de 30 anos acabou relatando aos policiais que havia feito um trato com a outra suspeita, a quem daria o filho em troca de uma casa no bairro Princesa, também em Várzea da Palma. Ela também contou que tem outro filho e que este estaria com uma vizinha.

As duas mulheres acabaram sendo detidas e foram encaminhadas para a Delegacia de Plantão de Várzea da Palma. O recém-nascido segue internado na UTI de um hospital em Pirapora. 

Leia mais:
A vez do arco-íris: mães que perderam outros filhos vivenciam a plenitude da maternidade
Garoto que teve perna amputada por ferimento de linha chilena recebe alta do hospital