Nem os sete pontos na carteira de habilitação e a multa que chega a R$ 293 inibem motoristas a dirigirem na contramão das vias em Belo Horizonte. A imprudência considerada gravíssima, capaz de provocar acidentes e matar, não para de crescer. Em apenas sete meses, a média diária de punições aplicadas cresceu mais de 40%. Enquanto no primeiro trimestre eram 14 multas a cada 24 horas, de janeiro a novembro pulou para 20.

contramão acidente
Wellerson e a mulher foram arremessados da moto em que estavam após um carro avançar na contramão

O tráfego em sentido único pode causar batidas frontais, as mais graves nos acidentes de trânsito. Vítimas de uma ocorrência do tipo, Wellerson Luz dos Santos, de 34 anos, e a esposa, Mariel de Paula Menezes, de 28, escaparam por pouco.

No último dia 14, o casal foi arremessado da motocicleta em que estava após colidir com um veículo que invadiu a contramão na rua Madre Teresa, no bairro Jardim Europa, em Venda Nova. 

“Foi como se ele pegasse um revólver e atirasse. Não tive nem como me defender. Moto é perigoso sim, mas em 12 anos pilotando nunca me acidentei com lesões. Sempre pilotei na direção defensiva”, contou Wellerson, que é motoboy e está impedido de trabalhar pelos próximos meses. Ele sofreu fratura exposta, já passou por cirurgia e será submetido a mais um procedimento na próxima semana.

Os problemas não param por aí. Ele e a esposa, que também sofreu escoriações e recebeu alta médica, passaram o Natal no hospital, longe dos filhos. Mariel de Paula também assumiu o trabalho do companheiro.

Para piorar a situação, Wellerson Luz afirma ter procurado o motorista que causou a batida, sem sucesso. “Estamos indignados. Temos ele no WhatsApp e o vi postando, no status, vídeos e fotos dançando e curtindo o Natal com a família, enquanto minha mulher e eu estamos nessa situação”, contou.

A reportagem tentou contato com o condutor, mas as ligações não foram atendidas.

De janeiro a 7 de novembro deste ano, 6.338 infrações foram cometidas por motoristas que trafegaram pela contramão nas ruas de BH; em todo o ano passado foram 7.369 punições aplicadas

Riscos

Transitar na contramão, avançar sinal vermelho e ultrapassar em local proibido estão entre as condições que mais afetam a segurança no sistema viário, avaliam especialistas. A desatenção provocada pelo uso do celular ao volante também entra no ranking.

“Os riscos de colisão frontal são imensos. O outro condutor não tem nem tempo de resposta ao se deparar com o veículo que surge na contramão”, explica Marco Antonio Said, tenente do Batalhão de Trânsito da PM. “A imprudência de quem quer ganhar tempo é altamente fatal”, frisou.

Alterações

Conforme o Hoje em Dia mostrou na edição de 20 de maio, nos últimos três anos, 270 mudanças de sentido de circulação em ruas e avenidas foram feitas na metrópole. Vias que operavam em mão dupla passaram a ter direção única, exigindo mais cautela dos condutores.

Porém, na época, os órgãos de trânsito reforçaram que sempre há informações sobre as alterações nesses locais, para orientar os motoristas.