O Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-MG) informou nesta quinta-feira (31) que o número de animais resgatados em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, subiu para 57.  Até o momento, foram retirados da lama 27 cachorros, 14 pássaros, oito galinhas, dois galos, dois bovinos, dois patos, além de um gato e um cágado.

Depois do salvamento, os animais são levados para duas fazendas que estão sendo usadas como ponto de apoio. Lá, eles passam por uma triagem e são submetidos a exames antes dos tratamentos necessários. Dezenas de profissionais, entre médicos-veterinários, zootecnistas e voluntários, participam das ações para retirar os animais que estão atolados na cidade mineira.

Conforme o CRMV-MG, os animais que foram localizados, mas que não tiveram condições de serem içados, estão recebendo alimentos e água. Além dos locais movediços e de acesso complexo, uma das dificuldades dos profissionais é resgatar os animais de grande porte.
 


​Eutanásia

A eutanásia de animais, que estão recebendo injeção letal de militares de dentro de helicópteros, tornou-se um dos assuntos mais polêmicos e comentados nas redes sociais. As forças de segurança de Minas, no entanto, garantem que o método está sendo utilizado somente nos animas que estão agonizando e sem chances de serem resgatados.

De acordo com o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara, a eutanásia só é realizada quando o resgate não é viável e o sofrimento do animal é muito grande. Mas a decisão é tomada pelos veterinários presentes nas ações.

Leia mais:
Vídeo mostra desespero de funcionários da Vale no momento de rompimento de barragem: 'misericórdia'
Vara do trabalho de Betim bloqueia mais R$ 800 milhões da Vale
Família busca por conta própria parente desaparecido em Brumadinho