O número de mortos identificados após rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, subiu para 160 nesta segunda-feira (11). Os mortos permanecem em 165. Sendo assim, cinco ainda aguardam identificação pelo Instituto Médico Legal (IML) em Belo Horizonte. Nesta segunda, as buscas chegaram ao 18º dia e ainda há 155 desaparecidos. 

O desastre aconteceu no último 25 de janeiro e a onda de lama destruiu o refeitório e prédio administrativo da mineradora, pousada, casas, vegetação e córregos. Os rejeitos da Mina Córrego do Feijão também chegaram ao rio Paraopeba, que precisou ter a captação de água suspensa. 

O tenente-coronel e porta-voz da Defesa Civil, Flávio Godinho, garantiu que as buscas não têm data para serem encerradas. Nesta segunda (11), o efetivo empenhado nos trabalhos é composto por 158 bombeiros de Minas Gerais, 13 militares de outros estados, 64 militares da Força Nacional e outros 23 voluntários.

Leia mais:

Minas e Energia abre processo para investigar colapso de barragem

Após ser adiado, ano letivo começa nesta segunda-feira em Brumadinho

Ponte destruída por lama começa a ser restaurada, mas obra vai durar três semanas