Minas Gerais registrou 23.893 casos prováveis de dengue, entre confirmados e suspeitos, este ano. O número é cerca de 5 vezes maior do que o registrado nos dois primeiros meses de 2018, quando foram contabilizados 4.329, sendo 2.047 em janeiro e 2.282 em todo mês de fevereiro. Em 2019, faltam ainda dez dias para o fim do mês e o número de casos é mais do que o dobro do registrado no mesmo período do ano passado. Este ano, foram contabilizados 5.937 nos 18 primeiros dias de fevereiro.

De acordo com a Secretaria de Saúde, o Estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Sete mortes estão em investigação para a dengue.

Ainda conforme a SES-MG, um registro maior de casos é esperado para este período, de meses quentes e chuvosos, o que favorece a proliferação do mosquito. Mas, alerta para os cuidados que a população deve ter, como não deixar água parada. 

Zika e chikungunya 

As ocorrências de zika seguem tendência de alta. Neste ano, foram registrados 121 casos prováveis da doença: 98 em janeiro e 23 em fevereiro. No ano anterior, foram 16 em janeiro e 23 em fevereiro.

Em relação à febre chikungunya, houve queda em relação a 2019, que tem 406 casos prováveis da doença, sendo 324 em janeiro e 82 em fevereiro. Em 2018, foram 818 no primeiro mês do ano e 729 em fevereiro. Há dois óbitos em investigação, notificados em 2018. 

A SES-MG destaca que as ações de controle da dengue, zika e chikungunya são permanentes, ocorrendo durante todo o ano. 

* Fonte: SES/MG

Leia mais:
Aedes aegypti faz 33 vítimas por hora em Minas
Quase 18 mil casos de dengue são registrados neste ano em Minas; quatro mortes são investigadas
Minas devolve testes de dengue para o Ministério da Saúde por não terem utilidade