Após chegar em casa embriagado e ver o filho de 3 anos brincando com um batom, um homem de 41 anos agrediu a criança e acabou preso na noite dessa segunda-feira (8), em Uberaba, no Triângulo Mineiro. "Na minha família não tem viado", teria dito o homem enquanto dava várias chineladas nas costas do garoto. 

A Polícia Militar (PM) foi acionada na avenida Alfredo Faria, no bairro Parque Grande, por volta das 20h, pela mãe da vítima, de 29 anos. Ela relatou que tem uma filha de 13 anos de outro relacionamento e que, como de costume, os dois foram passar o fim de semana na casa do pai do filho mais novo. 

A mulher disse que estava no trabalho quando recebeu uma mensagem da filha, por volta das 19h, com uma foto mostrando os ferimentos nas costas da criança. Diante da situação, ela deixou o serviço e foi diretamente para a casa, onde pegou os filhos e avisou o homem que iria chamar a polícia. 

Aos policiais, a adolescente relatou que o irmão estava brincando com o batom e sujou o rosto, nem sequer chegando a passar o utensílio na boca. Foi então que o suspeito teria dito que não teria "viado" na família e passou a dar as chineladas.

Quando a PM chegou na casa do homem, ele confessou que não gostou de ver o menino brincando com o batom e que lhe deu algumas chineladas, "sem a intenção de machucar". o suspeito confessou também ter feito uso de bebidas alcoólicas antes da agressão. 

Ameaças

Pouco tempo após a mãe buscar os filhos na casa do companheiro, ela recebeu uma mensagem no celular com ameaças contra ela e a filha de 13 anos, por ter enviado a foto da agressão. No texto, ele disse que as duas "não sabiam nada da vida" e que iriam "se ver com ele ainda". 

Após o registro da ocorrência e a prisão do suspeito, o menino agredido foi encaminhado para o Hospital da Criança, onde recebeu atendimento médico. O agressor também precisou ser levado para uma unidade de saúde, mas a PM não precisou qual seria o motivo. Após os atendimentos, todos os envolvidos foram levados para a delegacia de plantão. 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil (PC) foi procurada e informou que o homem assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de maus-tratos, que tem pena prevista de dois meses a um ano de prisão ou multa. Depois disso, o suspeito foi encaminhado para uma audiência na Justiça.