Escorada num cercadinho próximo ao palco, Maria Antônia de Jesus parece ter sido vencida pelo cansaço. Ela tem 70 anos e veio de São João del-Rei para curtir a folia de BH, escolhendo o palco da Praça da Estação. 

Basta falar um pouco de Carnaval para ela voltar a se animar. “O Carnaval de Belo Horizonte é só alegria”, comemora, beijando a mão do repórter logo em seguida. O volume alto da música não permite falar mais, mas ela dá seu último recado: abrindo os braços e mostrando que ainda tem muita folia para curtir.

Palco
"O Carnaval de Belo Horizonte é só alegria", garante Maria Antônia de Jesus 

Apesar dos bloquinhos serem o principal fator de crescimento da festa do rei Momo na cidade, há aqueles que preferem ficar diante de um palco. A Praça da Estação é uma prova disso. O público ainda era grande por volta das 20h desta segunda.

Adriana Aparecida, de 45 anos, reservou para o local o encerramento da programação carnavalesca. Ela começou o dia acompanhando o Baianas Ozadas e, depois, foi para o Garota Solteiras. “Não poderia terminar o dia de forma melhor”, diz.

Ao lado dela estava Roseli Pereira, ambulante que trabalhava desde 5h, perto da Rodoviária. “Deixei o meu marido lá e vim para cá. Foi uma dificuldade chegar aqui na frente”, afirma. Amanhã, novo dia de trabalho, mas ela espera estar novamente à frente do palco para ter seu momento de folia.