A Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, registrou uma série de ocorrências neste fim de semana. Em uma delas, um preso quebrou as pernas ao tentar fugir do complexo. Além disso, duas mulheres foram presas tentando entrar no pavilhão com drogas escondidas nos órgãos genitais. Uma terceira mulher também foi detida com documento falso.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), a tentativa de fuga aconteceu por volta das 18h de sábado (17). Um preso de 49 anos conseguiu serrar as grades de uma cela e usou uma teresa - corda artesanal feita com lençóis - para pular o muro da penitenciária. A ação, contudo, foi frustrada pelos agentes de segurança penitenciários.

Na queda, conforme a Sejusp, o homem fraturou uma das pernas. Ele foi socorrido e encaminhado para avaliação médica. "As circunstâncias e possíveis responsabilidades pelo ocorrido serão apuradas administrativamente por meio de um procedimento de investigação interno", garantiu a secretaria.

Partes íntimas

Já no domingo (18), duas mulheres foram flagradas tentando entrar na Nelson Hungria com drogas nas partes íntimas. Uma das ocorrências foi registrada às 15h, quando uma visitante, de 28 anos, que estava acompanhada de três crianças, foi abordada na revista de segurança do complexo. 

Agentes penitenciárias flagraram que ela estava com três porções de maconha nos órgãos genitais. "Ela foi conduzida para a Delegacia de Polícia Civil e foi ratificada a prisão em flagrante", explicou a Sejusp. As crianças foram levadas para o Conselho Tutelar.

Cerca de 1h30 depois, uma outra mulher, também de 28 anos, foi flagrada pelo body scan com imagens suspeitas na região pélvica. "Após ser questionada, ela assumiu a posse e retirou uma porção de substância semelhante à maconha de suas partes íntimas". A suspeita foi conduzida para a delegacia de Vespasiano, onde a ocorrência foi registrada.

Falsidade ideológica

Ainda no domingo, uma mulher de 28 anos foi presa em flagrante por falsidade ideológica. A suspeita tentou entrar na Nelson Hungria com documento falso. "Ela tentou se passar por outra visitante que possuía autorização para realizar visitas", contou a secretaria. A suspeita foi encaminhada para a delegacia de plantão.