O Pró-Mananciais, programa que promove ações de conservação e recuperação de nascentes e mananciais, irá mais que dobrar o número de municípios atendidos em 2018, de acordo com o Governo de Minas. 

No ano passado, o projeto envolveu 58 cidades, com cuidados até o ponto de captação. A expectativa é que, neste ano, 149 recebam a iniciativa. Conforme o Executivo Estadual, será dada prioridade para os municípios mais impactados pela crise hídrica e que demandam ações emergenciais de conservação das águas.

A medida é uma das que o governo do Estado vem tomando para enfrentar a escassez hídrica no território mineiro e que serão apresentadas durante o 8º Fórum Mundial da Água, evento global que acontece em Brasília.

Essa é a primeira vez que o encontro, organizado pelo Conselho Mundial da Água, é realizado no Hemisfério Sul. Paralelamente ao evento, está acontecendo o Fórum Alternativo Mundial da Água, que também discutirá o tema em escala global, reforçando a visão da água como um direito elementar à vida. 

Segundo a diretora geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Marília Melo, que está representando o governador Fernando Pimentel em ambos os eventos, essa é uma oportunidade para se conhecer e debater sobre as práticas de gestão de recursos hídricos que vêm sendo adotadas em diversos lugares do mundo.

“Será ainda um momento para estabelecimentos de parcerias e cooperações, que são fundamentais em se tratando de um recurso que ultrapassa as fronteiras políticas”, afirma.

A diretora destaca que embora Minas Gerais enfrente importantes desafios também registra avanços significativos na implementação da política de recursos hídricos.

“Cito, por exemplo, a experiência bem sucedida de aplicação dos instrumentos de regularização e fiscalização durante o período de escassez hídrica na Bacia do Rio das Velhas, nos anos de 2015 a 2017”, observa.

Essa experiência de gestão está descrita na publicação “Compartilhando Experiências das Águas de Minas”, que também foi lançada pelo Igam durante o evento.

Investimento

Durante a abertura do 8º Fórum Mundial da Água, foi assinado entre a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e a Fundação Banco do Brasil um acordo de cooperação técnica para dar continuidade às ações do Pró-Mananciais.

A instituição vai destinar recurso no valor de R$ 8,5 milhões, que serão investidos no programa e na implantação de tecnologias sociais, como fossas sépticas e cisternas para captação de água da chuva. Além da realização das obras, um trabalho de mobilização social será realizado nas comunidades, com a realização de oficinas.

Além Disso

O Pró-Mananciais é desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Copasa. O objetivo do programa é proteger e recuperar as microbacias hidrográficas e as áreas de recarga dos aquíferos dos mananciais que são utilizados pela Copasa para o abastecimento público, por meio de ações e estabelecimento de parcerias, que visem à melhoria da qualidade e quantidade das águas, favorecendo a sustentabilidade ambiental.

Entre as diversas atividades desenvolvidas estão o cercamento de nascentes, plantio de mudas nativas em mata ciliar e implantação de bacias de contenção de enxurradas. O Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia) participa de maneira colaborativa das etapas de diagnóstico, planejamento, construção e acompanhamento do plano de ações na microbacia escolhida.