O problema das notícias falsas que se espalham rapidamente nas redes sociais já causa estragos no interior de Minas Gerais. Nesta quinta-feira (22), a Prefeitura de Passos precisou esclarecer que não há surtos de H1N1 ou tuberculose na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade após a população promover uma verdadeira corrida por máscaras respiratórias. 

Conforme o município, de fato houve uma ocorrência do vírus da gripe H1N1, que culminou na morte de uma paciente internada na Santa Casa de Misericórdia do município. "Os familiares foram devidamente orientados para que procurassem atendimento médico, para avaliação, que está sendo feita pela Santa Casa e que até o momento não foi constatado o vírus", disse o Executivo. 

Além disso, na UPA, por "coincidência e falta de informação", alguns funcionários deram informações erradas sobre o uso de máscaras, uma vez que na quarta-feira (21) e nesta quinta houve no local atendimento de um paciente com tuberculose - que foi isolado e não trouxe riscos para os demais usuários - e de uma suspeita de H1N1, sendo que o paciente foi transferido para a Santa Casa e já não tem sinais do vírus. 

"Portanto, não indicamos o uso de máscara para nenhuma pessoa que estava frequentando o local. Quanto aos profissionais que atuam na Instituição, já foram orientados pela equipe de Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da unidade, e permanecerão de máscaras somente durante os casos indicados pela comissão", completou a prefeitura.

UPA segue funcionando normalmente

Por fim, o município esclareceu que a UPA continua funcionando normalmente e que, quando for necessário a utilização de algum tipo de proteção individual, isso será indicado e o equipamento fornecido pela própria unidade de saúde. "Lembramos a toda a população que TODOS os estabelecimentos de saúde atuam no intuito de salvar vidas, mas também traz riscos para as pessoas que ali frequentam", afirmou. 

A prefeitura garantiu ainda que tomará todas as providências necessárias para apuração dos fatos que geraram todo esse transtorno. "Ainda salientamos que, as informações correlacionadas ao município serão repassadas somente, pelos meios de comunicação da instituição", concluiu a nota de esclarecimento. 

Leia mais:
Minas investiga 55 casos de sarampo; três têm forte indício de confirmação, segundo Saúde
'Dose zero' contra o sarampo começa nesta 5ª em Minas; tire todas as dúvidas sobre a vacina
Garotinha de 3 anos morre vítima de meningite na Zona da Mata