Tão ou mais importante do que a localização e o valor da mensalidade, o desempenho da escola em edições anteriores do Enem deve ser um fator decisivo na hora de escolher onde o filho vai estudar. Termômetro do que foi ensinado nas salas de aula e da didática da instituição (a forma como os conteúdos são abordados), a nota do colégio no exame nacional serve de parâmetro preciso, confiável e imparcial para atestar a qualidade do ensino.

A pontuação da escola é a média do resultado obtido pelos estudantes de cada instituição na prova – que neste ano será realizada em 3 e 10 de novembro. Em Minas, 534 mil alunos farão a avaliação, porta de entrada para todas as universidades federais do país e para a grande maioria das particulares. Por isso mesmo, engana-se quem pensa que o sucesso na empreitada depende exclusivamente do candidato. Tem tudo a ver com o suporte oferecido pela escola. 

Fundador do Colégio M2 e presidente da Federação dos Estabelecimentos de Ensino de Minas Gerais, Emiro Barbini diz que as escolas têm apostado no ranqueamento do Enem para elaborar planos de ensino que qualifiquem, ainda mais, os estudantes, tornando o período de preparação para as provas mais eficiente. 

"O Colégio M2, por exemplo, está entre as cem primeiras escolas com as melhores médias do Brasil. É um trabalho que começa no ensino infantil e vai até o final do médio", ressalta o educador. 

Faltando pouco mais de 20 dias para a primeira etapa do Enem, Barbini recomenda cautela nessa reta final de estudos. "Para quem vem estudando muito, o ideal é que não aumente a rotina. O que vem na 'água morna', esse, sim, pode dar uma acelerada. Mas não adianta virar noites, porque é exagero", alerta. 

Aquele que está focado desde o começo do ano não deve mesmo aumentar a jornada de estudos, mas sim estar atento ao sono, manter uma alimentação saudável e evitar ingerir bebidas alcóolicas. As dicas são do professor José Eustáquio Simões, coordenador do Pré-Enem das Faculdades Promove. 

"É uma época importante para manter a concentração, sem muita farra. Por isso, é recomendado rever o conteúdo que já aprendeu, ocupar o tempo escrevendo sobre assuntos possíveis para a redação", indicou o docente. De acordo com Simões, essas atividades auxiliam na fixação do conteúdo, evita problemas de saúde e enriquece o repertório para o exame. 

Expansão

Com uma década de história e cerca de 4 mil estudantes, o M2 conta com unidades na Pampulha, Lagoa Santa e Vespasiano. Novas unidades serão inauguradas no começo de 2020 no Centro (Av. João Pinheiro), nos bairros Prado (Oeste) e Rio Branco (Venda Nova), em Belo Horizonte, com adoção do sistema de ensino Bernoulli.

"É um modelo reconhecido pela família mineira e que tem alto índice de aprovação", diz Ed Nelson Rodela, diretor-executivo da instituição. "Somado à experiência do professor Emiro e mensalidades acessíveis, o programa é um diferencial e tanto". 

As matrículas para a Rede M2 estão abertas. Para mais informações, acesse redem2.com 

M2

O M2 tem uma década de história e cerca de 4 mil estudantes