Prevista para até 90 dias a instalação da nova passarela no Anel Rodoviário, próxima ao viaduto São Francisco, na região da Pampulha. O acordo foi firmado nesta segunda-feira (13), durante reunião entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG). A estrutura provisória foi retirada no fim do mês passado por uma empresa terceirizada, que devido a problemas com documentação, teve que encerrar as atividades.

Segundo o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-MG, William Santos, a grande preocupação é com a segurança dos moradores que precisam atravessar a via. “Pelo menos dez pessoas foram atropeladas na rodovia após a retirada da passarela. O Dnit confirmou que foi aberto um processo de licitação para agilizar a instalação de outra estrutura no local, que seja de fácil remoção, já que está prevista obras no Anel Rodoviário”, explica.

O Dnit informou que enquanto a nova estrutura não é instalada, placas de sinalização serão colocadas no trecho para evitar a travessia de pedestres.

Obras do Anel Rodoviário

A reunião também discutiu a respeito da remoção das 38 comunidades que vivem às margens do Anel Rodoviário. Segundo William dos Santos, o processo está bem adiantado. “Verificamos que parte das verbas destinadas ao aluguel social ou mesmo a construção de imóveis populares está garantido. Acompanharemos o desdobramento deste processo”, reforça.

Leia mais:
Manifestantes fecham Anel Rodoviário mais uma vez para protestar contra retirada de passarela
Manifestação fecha o trânsito do Anel Rodoviário e complica vida de torcedores e motoristas