Representantes da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e do Ministério Público de Minas Gerais se reuniram nesta sexta-feira (26) com membros da construtora Cowan e da Consol Engenharia. O encontro buscava um acordo sobre o pagamento dos prejuízos gerados pela queda do viaduto Batalha dos Guararapes, em julho de 2014 durante a Copa do Mundo. A reunião foi a quinta realizada desde a conclusão do inquérito policial em maio do ano passado. Novamente, o encontro terminou sem acordo entre as partes.

A queda do elevado gerou um prejuízo de quase R$13 milhões aos cofres públicos. Segundo o MP afirmou ao site G1, a construtora Cowan é responsável pelo pagamento da maior fatia da dívida (R$12,5 milhões). A empresa, por sua vez, deseja que a PBH abata o valor a partir de faturas vencidas a serem pagas pela adminstração municipal. A Prefeitura questiona o valor apontado pela Cowan e a Consol Engenharia solicitou uma revisão dos cálculos.

A reunião terminou sem acordo entre os órgãos. O próximo encontrou foi marcado para 07 de abril.

A queda do viaduto Batalha dos Guararapes provocou a morte de duas pessoas, além de outras vinte e três vítimas. Ao todo, dezenove pessoas foram indiciadas por crime de desabamento doloso com mortes e lesões corporais – entre elas funcionários da Prefeitura de BH, diretoras da Cowan, construtora responsável pela obra, e da Consol, que elaborou o projeto.